Segundo especialista, técnica desenvolve a sensibilidade da pele e pode provocar orgasmos múltiplos e prolongados em homens e mulheres

Massagem Tantrica

Começa assim: um (ou uma) terapeuta espalha um óleo quentinho e cheiroso pelo corpo nu do cliente. Após 20 minutos, vem o primeiro contato no órgão genital. A sensação é boa. Depois que o primeiro orgasmo chega, logo vem outro. E outro, e outro, e outro, e outro… durante 1h30m! O relato é a experiência — positiva e em primeira pessoa — de quem já provou….

Provou e gostou de uma sessão de massagem tântrica capaz de, além dos orgasmos múltiplos e de vale (sem declínio após o clímax), fazer a mulher ejacular loucamente. O homem também chega lá, com a diferença de que, em algum momento, seus orgamos começam a ser secos. Ou seja, não-ejaculatórios.

— O homem desenvolve esse potencial. Muita gente não sabe, mas ele pode ter 15, 20, 30, 40 orgasmos… É interminável! — afirma a terapeuta Samvara Subaghi, especialista neste tipo de massagem.

A despeito de todo o prazer que proporciona, segundo ela, o objetivo é desenvolver a sensibilidade da pele e a auto-percepção corporal.

— No momento do êxtase orgástico, há uma expansão de consciência. Um sentimento de plenitude absoluta, uma sensação de que você se basta, de que está inteiro em si mesmo — diz ela: — Isso acontece porque a pessoa se torna consciente da próprio poder e de sua energia sexual, que é a energia da vida, da criação.

Samvara é taxativa ao afirmar que a massagem permite um aumento do tamnho do pênis e do clitóris, pois tonifica a musculatura nessas regiões. No caso do clitóris, ele fica bem tonificado, permitindo à mulher ter mais prazer, além de orgasmos prolongados e intensos.

— É possível sim. São usadas técnicas específicas. As manobras funcionam como uma ginástica e, ao longo de algumas sessões, já se percebe uma mudança no tamanho, no diâmetro e na tonicidade do membro — conta: — Tenho pacientes que me disseram que o pênis ficou mais grosso e até a textura mudou.

O sexólogo Amaury Mendes Júnior, porém, é veemente ao dizer que isso não é possível.

— Após os 16 anos, o pênis não cresce mais. O que acontece é que ele acompanha o homem. Se o sujeito é alegre, o pênis também será. Se é triste, o pênis será triste, e por aí vai… Com as massagens, o membro de um homem que tem dificuldade para se excitar vai se encher de sangue mais facilmente, mas o tamanho não vai mudar.

Segundo Samvara, a massagem tântrica — chamada de lingam (bastão de sustentação), no caso do homem, e de yoni (portal da vida), no caso da mulher — serve também para curar disfunções sexuais sérias como ejaculação precoce, impotência sexual, vaginismo, falta de lubrificação ou até mesmo trauma por abuso sexual.

Para Amaury Mendes, essa técnica é de grande ajuda, embora ele preconize um trabalho de dessensibilização.

— Não costumo indicar que se vá direto aos genitais — fala: — É como um prato de sopa quente. Nunca vou direto no centro do problema porque as pessoas estão mexidas ou tem dificulade com toque. Prefiro ir aos poucos, estimulando o paciente e fazendo um trabalho psicoterpêutico em paralelo. Penso que assim a resposta é mais efetiva. A gente não pode esquecer que, por trás de um órgão genital, existe um indivíduo.

Mas Samvara garante:

— Quando atendo uma pessoa com traumas, faço uma avaliação e não vou direto nos genitais. O tantra é um trabalho global, que funciona de forma holística. Não é uma técnica invasiva — afirma.

Fonte: O Globo

 

Anúncios